terça-feira, 6 de agosto de 2013

Capítulo 29 - I love you too

Oi gente!!! Como vão vocês? Aproveitaram as férias? Foi mal por não ter entrado muito nesse período no blogger. Eu só conseguia entrar de vez em quando na net, mas não o suficiente para conseguir escrever muito ou ler :/

Whatever, i'm back! :D

Espero que tenha gostado do capítulo niley passado, porque terá mais momentos niley nesse também!

E sejam bem-vindas as novas seguidoras e possíveis leitoras!! :D

Ah! Eu tenho novidades, mas só vou contar lá no finalzinho do post. ;)

Boa leitura!


Steve Narrando

 

Eu e Richard estávamos conversando entusiasmados sobre os nossos planos. Estávamos cada vez mais perto de conseguirmos dar o bote. Logo, logo, Nicholas ganhará o acesso às contas bancárias de Paul. E assim, nós iremos transferir todo o dinheiro para a nossa conta. Richard me dizia sobre o sistema de segurança da casa, uma vez que ele fez amizade com um dos seguranças de lá. Será fácil burlar o sistema desse jeito.

Nossa conversa foi interrompida pelo meu celular que tocava alto. De acordo com o identificador, o número era desconhecido.  Mesmo assim, eu atendi.

-Alô?

-Alô, Steve? – era a voz da Miley. Sinto que não vem notícia boa por aí. Ela nunca me liga para me avisar sobre coisas boas.

-Oi, Miley. Por que você está ligando de outro telefone? – perguntei.

-Justamente por causa disso que eu te liguei. Aconteceu uma coisinha... – pelo seu tom de voz, a “coisinha” não era nada boa, como eu adivinhei.

-Fala logo o que aconteceu! – eu a apressei, ansioso.

-Nós sofremos um acidente na estrada e o carro caiu num lago. – ela disse rapidamente. E antes de me deixar pronunciar, ela continuou. – Eu e Nick estamos bem, mas vamos precisar de uma carona amanhã. – eu não estou acreditando no que estou ouvindo.

-Como é que você deixou um carro cair no lago!? – eu gritei no telefone.

-Olha só, eu explico como aconteceu depois. Mas será que dá pra me responder se você vem nos buscar ou não? – e ainda tem a cara de pau de me pedir um favor desses? Eu mereço.

-Como eu vou te buscar se eu não sei onde você está e sem a porra do carro?

-Você é esperto o suficiente para conseguir outro com facilidade, tá? Qualquer coisa pede para o Joe vir no carro dele, então. Eu estou num hotel junto com o Nick. Ele se chama “Apolo’s Hotel”. Se procurar no Google, você vai descobrir o endereço, ok? – mais folgada impossível.

-Fazer o que, né? – bufei. – Vou ver aqui o que posso...

-Tá bom. Eu tenho que resolver umas coisas aqui. – ela me interrompeu. Ouvi uma baixa risada no fundo. – A gente se vê amanhã, tchau!

-Eu não acredito nisso... – eu falei comigo mesmo, logo depois dela desligar na minha cara.

 

Nicholas Narrando

Miley acabou de desligar rapidamente o ligação quando viu a chave do quarto em minhas mãos. Eu me divertia com a sua falta de paciência em conversar com o Steve no telefone.

-Pronto, ele já está sabendo e de algum jeito nós teremos carona para amanhã. – ela disse. – Agora, por favor, vamos esquecer que L.A. existe!

Eu estava pensando em avisar o Joe também, só para garantir que não vai ter nenhum escândalo, mas uma hora ou outra ele vai saber e o nosso problema de carona já foi resolvido. Então para que me preocupar?

- Seu pedido é uma ordem, senhorita encrenca. – eu a abracei de lado pela cintura, dei um beijo nos seus cabelos e fomos até um dos elevadores. – Eu também não aguento mais ouvir sobre problemas em Los Angeles. -  disse enquanto ela apertava o botão do nosso andar.

Não deu nem tempo das portas se fecharem, para Miley me empurrar contra a parede fria do elevador e nos beijarmos vorazmente, como se fizesse séculos que estávamos separados. Parece até irreal o que está acontecendo. Quando que pude imaginar que Miley estivesse apaixonada por mim de verdade? Eu poderia muito bem duvidar e rejeitá-la naquela mesma hora, mas eu sabia que o que ela dizia era sincero. Senti no modo que ela desabafou, no seu olhar, no seu beijo, e até mesmo nas suas lágrimas.  Isso explicava aqueles seus comportamentos estranhos de ultimamente e até porque ela veio me resgatar.

Ouvimos o elevador chegar ao seu destino, mas continuamos nos beijando. É como se esse desejo fosse sem fim. A cada minuto que passava com a Miles, essa necessidade por mais crescia. Nossos lábios se roçaram, insistentes em não se separarem. De repente, ouvi alguém tossir propositalmente, e nós olhamos rapidamente para a porta aberta do elevador. Era o mesmo casal que nos deu carona. Eles estavam parados em frente ao elevador reprimindo sorrisos maliciosos.

-Finalmente os pombinhos se entenderam! – disse Raven.

Pasmem! Miley estava vermelha feito uma pimenta. Ela se afastou em pouco de mim, envergonhada.

-Desculpa, a gente não viu que tinha alguém esperando. – eu me pronunciei saindo do elevador junto com a Miley.

-Sem problemas. – respondeu o marido de Raven, soltando uma risada discreta.

-Vocês conseguiram a chave? – ela perguntou.

-Acabamos de buscar lá na recepção. – Miley disse me puxando pela mão.

- Então tá. Bom descanso para vocês. – ela disse sorridente, enquanto apertava o botão do elevador.

-Obrigado. – respondi antes que as portas do elevador se fecharem de novo.

Miley achou rapidamente o nosso quarto. Pegou a chave em minhas mãos para abrir, enquanto eu a fitava. Logo depois de abrir a porta ela me encarou de volta.

-O que foi? – perguntou curiosa.

-Eu ainda não acredito que você ficou cheia de vergonha. – eu falei rindo. Ela fechou a cara em uma carranca, contrariada.

-Ei, não teve graça! Eu ainda não estou acostumada com tudo isso, ok? – ela disse entrando na suíte junto comigo. Eu fechei a porta.

-Com tudo isso o que? – perguntei a provocando. É claro que eu sabia, mas eu adoraria a ouvir falar isso de novo.

-Você sabe bem o que. – ela desviou o olhar toda marrentinha.

-Eu não sei, não. Você vai ter que repetir. – me aproximei dela, pousando as mãos sobre o seu quadril e encarando aqueles olhos azuis profundos. Tão magnetizantes e encantadores. Seus lábios se puxaram em um sorriso, mas logo tentou reprimir.

-Que eu te amo. – ela murmurou.

-O que? Acho que não ouvi direito. – brinquei.

-Eu te amo, seu surdo. – ela deu um tapa em meu braço. Eu ri junto com ela. É bom ouvir o seu riso assim, descontraído e despreocupado. Se dependesse de mim, eu provocaria esse som contagiante da sua gargalhada o tempo todo. Seu sorriso foi sumindo aos poucos, dando uma atenção maior aos meus olhos. Um olhar intenso diretamente para mim, me hipnotizando e me fazendo perceber o quão estou viciado nela.

-Minha sereia. – eu disse revezando atenção entre os seus olhos e os seus lábios carnudos, feitos especialmente para serem beijados e adorados. Fiz o contorno deles com o meu polegar lentamente, admirando cada detalhe. Miley arfou com o meu toque, aproveitando apenas alguns segundos e puxando minha nuca, nos juntando em um beijo.  O que era inicialmente um beijo carinhoso e doce, se tornou apimentado e cada vez mais urgente.

Para evitar que o beijo seja quebrado mais tarde possível, comecei a despir tirando o seu short. Miley fez o mesmo com a minha calça, logo depois colocando a mão dentro de minha cueca. Ela apertou o meu pau que já estava endurecendo, ainda mais com o seu toque. Um grunhido meu foi abafado pelo beijo que ainda insistia em continuar. Suas mãozinhas nem um pouco inocentes foram parar na minha bunda e a apertaram com vontade, enquanto eu tentava subir a sua blusa. Nossos lábios tiveram de se separar. Assim, eu pude tirar a sua blusa de uma vez e ela fez o mesmo, se livrando da minha camisa. Com apenas o sutiã e a calcinha a vestindo, pude ver com mais facilidade as marcas de chupões espalhadas pelo seu colo e seios.

-Gostou do estrago que você fez? – perguntou Miles com uma voz aveludada e sexy. Eu assenti enquanto apreciava todo aquele corpo tentador a minha frente. Eu tive que morder meu lábio inferior ao sentir o meu membro pulsar, sem aguentar mais tanta provocação.

-Eu posso tentar melhorar isso com alguns beijos, se quiser. – eu sussurrei, quase colando nossos lábios novamente de tão próximos que estávamos. Apoiei minhas mãos em sua cintura fina, tão delicada que nem parecia que a dona desse corpo, na verdade, seja um explosivo em pessoa. Com apenas um suspiro seu como consentimento, eu comecei a distribuir beijos demorados pela sua pele, em cada marca rosada que eu deixei anteriormente.  O seu cheiro, a sua textura, cada medida. Tudo nela parecia ser feito especialmente para mim. Depois de mais alguns beijos molhados, eu abri o fecho do seu sutiã. Ela deixou cair as alças pelos seus ombros, até que o sutiã caísse de uma vez e deixasse aqueles seios perfeitos a mostra para mim.

Miles deu um delicado selinho em meus lábios e logo depois abaixou a sua boca para o meu maxilar e deu uma mordida no local. Enquanto isso, ela abaixava a minha cueca, até que caísse em meus pés. Para ficarmos quites, tirei a sua calcinha de uma vez. Ela deu mais uma mordidinha na minha orelha e logo depois a sugou levemente, arrepiando a minha pele. Miles deu um beijinho na pele eriçada do meu pescoço e soltou uma risada baixa.

            Dei alguns passos cegos para trás, puxando a Miley para mim, até me sentar na cama. Ela se sentou no meu colo, deixando as suas deliciosas coxas de cada lado do meu corpo. Suas mãos passearam pelo meu peito e abdômen, admirando os detalhes dos meus músculos. Ameaçou chegar ao meu pênis ereto, mas voltou a trilha das suas mãos, fazendo o caminho contrário e carregando um sorriso safado no rosto. As suas carícias maliciosas, o seu corpo nu totalmente entregue aqui sobre mim, a química explosiva que tínhamos. Eu não aguentava mais me segurar a essa provocação toda. Segurei os seus cabelos longos entre os dedos e nos juntamos em um beijo faminto sem nenhuma delicadeza. Nossas línguas se acariciavam com tanta urgência, que chegava a ser um pouco agressivo, mas nenhum de nós se importava com isso. No final do beijo, puxei o seu lábio com os dentes. Seu corpo se endireitou sobre o meu e quase enlouqueci quando senti a sua intimidade úmida e quente se roçando no meu pênis.

            A ponta do meu membro de encaixou na entrada da Miley. Seu quadril foi abaixando lentamente, até penetrar de vez. Um som erótico e melodioso saiu da sua boca conforme ela mesma provocava a penetração. Minha mão foi até o seu seio empinado e o apertou e depois o massageei, me deliciando com a sua textura contra a minha mão. Um gemido baixinho soou da sua garganta e como reação, o seu sexo se apertou ainda mais. Dessa vez, eu que tive que arfar de prazer. Beijei o seu pescoço carinhosamente, e deslizei minha mão que estava em seu seio até o seu quadril. Ela voltou a se movimentar não muito lenta, nem rapidamente. Mas o suficiente para quase me fazer ver alucinações. Miles ás vezes rebolava sobre mim ou se movia pra frente e para trás, me provocando grunhidos e gemidos, para logo depois voltar a sentar novamente sobre mim. Suas mãos se espalmaram nas minhas costas e não demorou muito para suas unhas arranharem a minha pele, cada vez que chegávamos mais perto do ápice.

            Nossos gemidos foram aumentando cada vez mais. Levei dois dedos para o seu seio, atiçando o seu mamilo e acelerando ainda mais o seu orgasmo. Miles gemeu alto o meu nome. Seus movimentos foram aumentando a velocidade. Com a voz falha de tanto prazer, eu a chamei pelo nome. Ela movimentou mais um pouco e jogou a sua cabeça para trás e de olhos fechados soltou o seu ultimo e mais alto gemido. Pequenos espasmos se espalharam pelo meu corpo e pude até sentir o quarto ao nosso redor girar. Gemi rouco ao sentir meus músculos relaxarem.

            -Você foi maravilhosa, Miles. – eu disse ofegante. Recebi como resposta um sorriso lindo e um preguiçoso e carinhoso beijo nos lábios.

Ainda com a respiração pesada, Miley me abraçou e deitou a sua cabeça em meu ombro. Eu envolvi o seu corpo suado e delicado com os meus braços. Nossos corações acelerados quase se duelavam de tão fortes que eram as batidas. Eu sorri sozinho. Eu pertencia a ela, ela pertencia a mim. Nada mais importava.

No dia seguinte...

Meus olhos abriram preguiçosamente, mas eu não senti a luz do dia bater neles diretamente. A silhueta da Miles tapava os raios do sol que vinham da janela. Ela já estava acordada, sentada de costas para mim. Os seus cabelos longos cobriam a maior parte das suas costas nuas. A sua tatuagem estava bem visível desse jeito. Ela fica tão sexy assim. Eu não sabia muito bem para onde ela olhava, mas pelo jeito, Miley não observava nada a sua frente. Ela parecia estar pensativa. Uma pontada me pegou de surpresa. Era medo. Medo dela simplesmente se arrepender e jogar tudo o que estávamos prestes a ter fora. Miley sempre foi muito instável e imprevisível, mas depois de tudo o que ela disse ontem, eu simplesmente me agarrei a aquilo com tanta confiança que nem pensei na possibilidade dela voltar atrás. Não. Se isso tivesse acontecido, duvido que ela continue ainda nesse quarto ao meu lado.

Me sentei, ficando na mesma altura, e depositei um beijo em seu ombro, a acordando para realidade.

-Bom dia. – sussurrou, olhando por cima do ombro.

-Bom dia. – eu disse no mesmo tom de voz. – Você parece pensativa. Estava pensando em alguma coisa?

Miley mordeu o seu lábio inferior e se virou para mim. Ela parecia um pouco hesitante com o que estava prestes a dizer. Então, respirou fundo e disse finalmente.

-Eu... Eu estava pensando sobre tudo um pouco. Principalmente sobre nós. – seus olhos estavam direcionados diretamente para mim, mas sabia que ela ainda estava um pouco insegura. – Me perdoa?

            Eu demorei um pouco para raciocinar sobre o que tinha acabado de ouvir. Miley nunca daria o braço a torcer, nunca passaria por cima do seu orgulho e se arrependeria desse jeito e se não estivesse realmente apaixonada por mim.

            -Eu sei que o que fiz com você foi imperdoável, mas... Eu tinha que pedir perdão a você. Todas as coisas que eu disse e que eu fiz... – ela tentou completar.

            -Eu te perdoo, Miles. – eu respondi, interrompendo a sua frase. – Eu sei como é difícil para você dar o braço a torcer desse jeito. – ela sorriu em concordância com a minha afirmação. – E quer saber? Nós devemos recomeçar, partir do zero. O que acha?

            Vi seu sorriso se alargar.

            -Acho uma ótima ideia. – Miley se aproximou de mim e estendeu a sua mão. – Meu nome é Miley Cyrus. Prazer em conhecê-lo. – eu soltei uma risada com a carinha de inocente que fazia. Em seguida tentei ficar sério e lancei um olhar desconfiado.

            -É Miley, mesmo? – eu perguntei, franzindo as sobrancelhas.

            -Não é nome falso. – ela revirou os olhos. – Eu estou falando sério.

            Eu apertei a sua mão. – Jonas, Nicholas Jonas. – eu disse com uma voz forçadamente sedutora, que a fez rir. – E o prazer é todo meu. – eu pisquei.

            Com um sorrisinho safado, Miley me puxou pela mão e se jogou sobre mim, que me fez cair deitado na cama. Seus lábios rosados se juntaram aos meus e nos beijamos deliciosamente. Minhas mãos passearam pelas suas costas, sentindo sua pele macia, até descerem para a sua bunda e a apertá-la. Sua voz abafada soou em um gemido. Mas o nosso clima foi totalmente pelo ralo, quando ouvimos alguém bater na porta.

            -Serviço de quarto. – uma voz masculina disse do corredor.

            Contrariada, Miley caiu do meu lado da cama. Ela resmungou baixinho.

            -Deixa que eu atendo. – eu avisei, enquanto eu descia da cama. Peguei a minha calça jeans, que já havia secado, e a vesti. Miley vestiu a sua calcinha e colocou a minha camisa, só pela precaução de alguém a ver lá da porta.

            Abri a porta e o cara do hotel me esperava com um carrinho de hotel tomado por um café-da-manhã farto. Eu já ia o avisando que nós não pedimos a refeição, mas não pude recusar aquela comida toda com a fome que eu tinha.

            -Desculpe o incômodo e bom dia. – ele disse me entregando o café-da-manhã.

            -Obrigado. – agradeci antes de fechar a porta novamente.

            Os olhos da Miley se encheram diante de tanta coisa gostosa.

            - Isso tudo é para gente? – perguntou surpresa e animada.

            -Pelo visto, sim. – respondi, colocando o carrinho em frente a cama.

            -Olha, tem alguma coisa aqui... – ela disse pegando um cartãozinho que estava entre a comida. – “Um café-da-manhã digno de um herói.” – ela riu enquanto lia o recadinho. – “Espero que o belo casalzinho aproveite! Assinado: Raven.” – ela olhou para mim e sorriu. – Acho que essa mulher faria de tudo para nos juntar se nós continuássemos brigados.

            Eu ri junto, me sentando ao seu lado. – Também acho.

            -Olha, tem alguma coisa aqui... – ela disse pegando um cartãozinho que estava entre a comida. – “Um café-da-manhã digno de um herói.” – ela riu enquanto lia o recadinho. – “Espero que o belo casalzinho aproveite! Assinado: Raven.” – ela olhou para mim e sorriu. – Acho que essa mulher faria de tudo para nos juntar se nós continuássemos brigados.

Eu ri junto, me sentando ao seu lado. – Também acho. - eu me ajeitei um pouco sobre o colchão e ela se sentou em meu colo. - Falando nisso, como nós podemos nos considerar agora? Namorados?

Ela abriu um sorriso discreto. -Pelo visto, sim. Mas assumir isso de cara vai ser difícil. - disse enquanto pegava uma uva. - O Steve já deve estar furioso comigo depois de toda essa confusão sobre buscar você sozinha, brigar com Black Bull e a perda do carro dele. Imagina se eu dissesse que eu estou apaixonada por você? Seria um caos. Então, acho melhor nós namorarmos escondidos por um tempo. Eu preciso convencê-lo de desistir do golpe aos poucos e... - a sua frase me chamou atenção, então eu a interrompi.

 -Você está certa disso? Quer desistir de tudo por minha causa? Olha, eu sei que o meu pai fez coisas horríveis com você.

 -Mas eu sei que você ficaria afetado com isso. -ela respondeu olhando nos meus olhos. - Eu não quero mais te magoar, mesmo que eu tenha que desistir disso. - ela estava certa. Por mais que eu sinta raiva do meu pai, ver a minha família se desmoronar por causa de um golpe, que eu ajudei, acabaria comigo. Eu sei que a única pessoa daquela casa que não merece isso é a Christine, mas meu pai e meu irmão ainda são parte da minha família, apesar de tudo. Fico aliviado com o fato de a Miley entender isso. Como agradecimento, abri um sorriso que logo foi retribuído por ela.

 -O Steve vai pirar, com toda a certeza. - eu confirmei. - Também acho melhor manter segredo por um tempo, mas não pode esconder isso para sempre. Uma hora ele vai querer dar um fim no golpe. Ele vai ter que saber em algum momento.

Ela balançou a cabeça em afirmação. - Eu sei. Mas agora não é a hora. Nem eu ainda me acostumei com isso. Então, será que dá para fingir por um tempo que não aconteceu nada entre nós?

 -Por mim tudo bem, mas só se nós nos encontrarmos escondidos algumas vezes. - eu disse sorrindo. - Sabe, essa ideia de namoro escondido até que é excitante.

Ela soltou uma risada. -Cuidado para não ficar excitado quando Steve ou o Joe estiver por perto, ok? - ela brincou.

 - Vou me esforçar. - respondi.

 

Miley Narrando

Em pouco tempo descemos para a saída do hotel. Depois de comermos o café-da-manhã e tomarmos um banho, recebemos o recado da recepção que tinha alguém nos esperando lá embaixo para nos dar carona. Admito que eu não fiquei nem um pouco disposta  em voltar para Los Angeles e ter que encarar a antiga rotina. Passar o tempo com o Nick é tão bom que até tinha esquecido que não poderíamos ficar tanto tempo juntos lá. Além do mais, eu tenho agora que pensar muito bem no que fazer e o que falar para o Steve. Eu teria que esperar a poeira abaixar para poder negociar com ele.

Quando finalmente saímos do hotel, encontramos Joe com uma carranca nos esperando escorado em seu novo Mercedes branco. Aquilo me deu raiva.  Tem gente que não merece a riqueza que tem. E daí que eu fiz as pazes com o Nick? Eu continuo não gostando do Joe. Ele sempre vai ser irritante para mim. Aproveitei alguns metros de distancia dele, para avisar ao Nick.

-Não conte nada para ele também. Aposto que ele contaria para o Steve ou faria um escândalo falando que eu estou te manipulando. – eu disse baixinho.

Ele assentiu. – Pode deixar. - e virou com um olhar surpreso para mim. – Espera aí. Você não está?

Eu segurei o riso. Estávamos cada vez mais perto dele e o Joe não parava de nos encarar.

-Recebi a ligação do Steve que vocês estavam precisando de carona porque a geniazinha conseguiu mergulhar o carro num lago. Como é que vocês foram parar aqui e que acidente foi esse? - o Joe desandou a falar, com os braços cruzados. Eu revirei os olhos.

-Primeiramente, você veio aqui para nos dar carona não para ficar pedindo satisfação para mim, não. E segundo, cala a boca e dirige que a gente explica no carro. – eu sei, sou um doce de pessoa.

-Nossa, quanta delicadeza. Aprendeu aulas de etiqueta onde? No puteiro que você costumava trabalhar? – respondeu Joe.

-Qual? Naquele em que eu conheci a sua mãe? – retruquei já irritada.

- Chega! – Nicholas interferiu sem paciência, e eu acho que isso foi para valer. – Será que eu não posso ter paz para voltar para casa?

  Me deu vontade de me desculpar pela ofensa a Sra. Jonas e que não era a minha intenção, mas eu estava fingindo não estar nem aí para ele, então respondi do mesmo jeito grosseiro. – Tanto faz, desde que vocês me deixem em paz também. – eu disse e abri a porta do carro de uma vez e me sentei no banco de trás.

-Como você conseguiu aturar essa aí durante tanto tempo? – Joe perguntou, enquanto entrava no carro e o Nick fazia o mesmo, se sentando no banco do carona.

-Eu não faço ideia. – ele respondeu.

Joe soltou uma risada baixa. – Nem parece aquela Miley lá de Los Angeles. – comentou.

-Por quê? – eu perguntei curiosa, o vendo dar partida no veículo.

-Quando ela descobriu que você foi sequestrado quase teve um ataque do coração e veio pedir ajuda para mim. – ele explicou para o Nick, ignorando a minha pergunta. – Ela deve ter ficado morrendo de medo de pegarem a fortuna do papai antes dela. Agora está toda marrentinha de novo.

Nicholas levou o seu olhar para minha direção e deixou escapar um pequeno sorriso. Eu já sentia alguma coisa por ele naquele momento em que descobri sobre o sequestro, e confesso que fiquei com medo de perde-lo. Senti meu rosto esquentar e tentei segurar um sorriso bobo.

-O que foi? – eu tive ousadia de perguntar, tendo o cuidado de parecer um pouco rude.

-Nada, agora eu não posso olhar para você? –  e aquele sorrisinho sapeca ainda em seu rosto. Será que não dá para virar para frente, Nicholas!?

-Não! Esquece que eu existo e continua a conversa aí com o seu irmão tão querido.  – eu desviei o olhar para a janela, me livrando daqueles olhos castanhos que eu tanto gosto.

Depois de poucas horas, chegamos a Los Angeles. Durante a viagem, escutei Joe dizer ao Nick que eles precisavam conversar a sós e que tinham que ir direto para casa, ao pedido do pai. Eu estranhei toda essa urgência. De repente eles já descobriram sobre a morte do xerife. Preferi fingir que não tinha ouvido e fiz cara de paisagem quando senti um olhar acusador de Joe pelo retrovisor. Aposto que tudo que acontecer de ruim ao redor dessa família, ele vai achar que é minha culpa. Ok. Dessa vez é minha, mesmo, e daí? Todo mundo pode ter azar por uns dias. Não dá para desconfiar dos outros o tempo todo.

Joe estacionou o carro em frente a minha casa, com um suspiro de alívio por se livrar de mim.

-Obrigada pela boa vontade de me deixar em casa, Joe. – ironizei com um sorriso falso.

-De nada. É um prazer passar o tempo com a minha cunhadinha. – retrucou, mas impaciente o suficiente para continuar de cara fechada.

Eu saí do carro e fechei a porta. Olhei para trás para encontrar Nick me olhando intensamente. “Eu te amo”, seus lábios pronunciaram em silêncio. Eu mordi o lábio inferior para evitar que eu sorria na frente do Joe. O carro deu partida, me deixando sozinha na entrada da minha casa. “Eu também te amo”, respondi mentalmente.

E aí? Gostaram? Não? Comentem e me contem a sua opinião!
Para quem já está ansiosa para mais, eu acho que eu não vou fazer vocês esperarem tanto. Eu já estou adiantando o capítulo 30, mas sinto que vai ficar gigantesco. rs

Ah, sobre a novidade! Eu tive a ideia mirabolante de postar uma versão adaptada da fic para os personagens de Jogos Vorazes kkkkkk Eu sei, muitas de vocês devem estar acham isso super nada a ver, mas eu costumo ler algumas fic com esses personagens e acabei tendo essa ideia. Achei melhor avisar aqui a vocês para não acontecer nenhum engano e vocês pensarem que a fanfic foi plagiada. Eu só postei o primeiro capítulo até agora, lá no Nyah. Para quem está curioso e quer ver, eu mudei o título o traduzindo para português : "Ladra de corações". 

Não deixem de comentar!

Beijosssss

21 comentários:

  1. Awwwn, que lindo o capitulo
    Posta logo pf, bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heeey!
      Que bom que gostou *-* Espero que continue te agradando!!!
      Obrigada pelo comentário.
      Beijos

      Excluir
  2. Ui, esse finalzinho ficou demais hein! Miley dizendo que ama ele, awnnnt >.<
    Posta logo, Carol!
    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UUUI! hahaha Miley já está amolecendo aquele coraçãozinho de pedra,viu? *-*
      Já postei mais um capítulo!
      Beijos!!!!
      Obrigada pelo comentário.

      Excluir
  3. perfeito ....AMO momento Niley !
    o capitulo ficou perfeitamente perfeito
    to apaixonada por essa fanfic .... por favor nunca pare de escrever hhehheehe
    posta logoo ... mto curiosa
    kiss and bye

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OOOWN valeu, Kelly! *-* Você é uma fofa! Pode deixar que eu não vou deixar de escrever por um bom tempo! :D Amo escrever fic!
      Já postei mais um capítulo. Espero que goste!
      Obrigada pelo comentário.
      Beijos!

      Excluir
  4. Levanda a mão quem antes de ler o cap leu as notas finais de curiosidade \o/ kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    eu heim...ai cada vez mais amo niley
    e agora tô viciada em coloca-los na minha fic
    saiba que esse cap me inspirou viu...
    mais tarde respondo seu email viu gata beeeijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha Eu também sou assim! Sempre leio as notas incias e finais antes de ler a fic kkkkkkkk
      Ai que bom que estou te viciando em Niley! *-* Depois eu vou te fazer ler mais fic Niley, aí você vai ficar mais viciada ainda! haha
      Tomara que agora você coloque os dois sempre nas suas fics!!! *-*
      Eu já vi a resposta ;D
      Obrigada pelo comentário
      Beijos!!!

      Excluir
  5. OMG! Que hot!
    Eu acabei de ler o capítulo e fiquei: "Quero mais!"
    Posta logo!

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que esse foi o ultimo hot da primeira temporada... Agora as pervas vão ter que esperar só para segunda! haha
      Ai que bom que estou prendendo a sua atenção! Espero que continue gostando!
      Obrigada pelo comentário
      Beijos

      Excluir
  6. Heeey
    Despulpa por nao estar comentando, mas é que faz tempo que estou sem pc :/// conseguir pegar o do meu irmao hj!!
    Enfim, vc ja deve saber que eu amo sua historia e estou morrendo pra saber o que vai acontecer, qual vai ser a reação do Steve, o que o pai doa Jonas quer falar pra eles, como vai ficar o relacionamento de Niley, como vai ficar o golpe, enfim, quero saver TUDO hahahaha
    Posta logo
    Xoxoxox
    P.S: eu postei no meu blog aventurasnileynuncaedemais.blogspot.com e no outro mineniley.blogspot.com passa la e deixa um comentario se vc gostar
    Xoxoxoxox

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heeeey sumidaa! Saudades de você por aqui. Ficar sem pc é uó, né? :/
      Você vai saber de tudo logo, logo! A fic já está perto do fim! Mas terá segunda temporada ;D

      PS: Pode deixar que eu vou ler! Deixa eu me organizar um pouco essa semana que eu leio!
      Obrigada pelo comentário e vê se não some!
      Beijos

      Excluir
  7. OMG. Eu amei o momento hot Niley. Simplesmente perfeito.
    Fico tentando imaginar como todos vão reagir quando souber que a Miley desistiu do golpe pq ama o Nick.
    Estou curiosa pra saber o q o pai de Nick quer falar com ele.
    Posta logo!
    Bjos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que bom que gostou deste capítulo!!
      Acho que vão ficar chocados! kkkkkkkkk Mas não posso contar muito detalhe senão vira spoiler! kkkk
      Eu já postei mais um capítulo, espero que goste!
      Beijos

      Excluir
  8. Aee até que enfim postou, já estav enlouquecendo de tanto esperar haha. Essa é unica fic Niley que eu leio (gosto e Niley, mas sou team Jemi) e eu amo essa fic. Não sei como explicar, enfim, nao demore para postar o proximo cap por favor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpa por demorar tanto! kkkkkkkk Sou meia lerda e preciso melhorar isso senão vou deixar minhas leitoras caquéticas de tanto esperar! kkkk
      Sério? Cara, que fofa! *-* Obrigada! Mas você deve dar uma procurada pelo blogger porque eu conheço umas fics Niley maravilhosas, também!
      Eu tentei não demorar, mas o capítulo tava grande e tive um monte de trabalho de escola para fazer q Mas pelo menos, eu já postei! kkkk
      Obrigada pelo comentário!
      Beijos

      Excluir
  9. Tem um motivo todo especial pra eu ter amado tanto esse capítulo e olha que não foi a parte hot, bem, não exatamente! Haha
    Eu achei simplesmente perfeito quando o Nick chamou a Miles de minha sereia, foi fofo, cafona e tão doce, a cara do Nicholas rsrsrsrs Só lembrei daquele capítulo da praia e do bilhete assinado do mesmo jeito.
    E senhoras e senhores, a Miley desistiu do golpe por amor, cara, ela está mesmo apaixonada *-* Own... Nunca achei que iria ver isso nessa fic, sério!
    Está tudo tão perfeito que se melhorar estraga, mas por favor, posta logo!
    Bjssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha
      Como sempre, o Nick é tão romantico que chega a ser cafona!
      Ela está amolecendo o coraçãozinho graças ao Nick! *-* Mas não pensa que ela vai virar santa, não hein! rs
      Obrigada pelo comentário!!!!
      Finalmente consegui postar mais um capítulo! kkkk Espero que goste.
      Beijos!

      Excluir
  10. Aaah!! Eu to pirando com esses dois últimos capitulo, que perfeição!!
    Fiquei feliz que a Miley vai desistir da vingança pelo Nick, apesar de ainda achar que o Paul merece um castigo bem grave por tudo que fez!! u.u muahaha
    Posta logoo :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. GIIIIII SUA SUMIDA!!!! Finalmente você de novo por aqui!
      Eu concordo! O Paul está merecendo pelo menos uma liçãozinha, né? ;D haha Deixa a Miley pagar de boazinha que a gente dá uma lição nele, o que acha? kkkkk
      Já postei mais um capítulo, espero que goste!
      Obrigada pelo comentário
      Beijos!

      Excluir
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir