terça-feira, 7 de abril de 2015

2ª temporada - Capítulo 7: Jealous

Miley Narrando
               
                -O que está acontecendo aqui?! ouvi a voz de Nick poucos metros de distância de mim e de Joe. Por um momento, suspirei aliviada por ele ter chegado eu não precisar encarar as acusações loucas do Joe sobre um suposto caso com o Chad. Até que enfim alguém vai dar um basta nisso, porque sozinha está difícil.
                Quando o meu olhar capturou o semblante furioso de Nick e uma confusão presente transmitida pelos seus olhos, eu me toquei da estranheza da visão que ele estava tendo. E por um momento, me lembrei de uma coisa ainda mais estranha: eu e o Joe já tivemos um caso. Bom, foi de apenas uma noite, os meus sentimentos pelo Nick eram uma farsa e eu estava focada em outra coisa bem maior. Mesmo assim, não dá pra negar que eu já traí o Nick uma vez com o seu irmão mais velho. Droga, o que ele deve está pensando agora?
                Parecendo ler os meus pensamentos, o Joe também percebeu a situação acidentalmente suspeita, me largou e me empurrou para longe dele. Não com muita força, mas o suficiente para mantermos uma distância segura para começarmos a nos explicar para o Nicholas.
                -Vocês ainda me responderam. a voz do meu namorado estava ríspida, mas o seu rosto entregava que estava meio perdido com o que acabou de ver, como não tivesse muita certeza. O que foi isso?
                -Não é isso que você está pensando, amor. eu comecei a me pronunciar. - O seu irmão é um louco! falei então a primeira frase que me veio à cabeça, desde o momento em que fui acordada. Quer dizer, não louco desse jeito. Louco de estar desconfiado de mim. Ele me trouxe aqui e ficou me pressionando. Ele não quis que eu saísse daqui até que eu admitisse alguma coisa pra ele.
                Nick cruzou os braços ainda esperando respostas. Ele estava fervendo em ciúmes. Era mais do que óbvio.
                -Eu não estou louco. Eu estava querendo descobrir um jeito de te provar que ela ainda não presta! Joe se defendeu.
                -Como é que é? Você trouxe a Miley aqui de camisola, ficou se esfregando nela daquele jeito que eu vi, só para conseguir alguma prova que ela não gostava de mim de verdade?  - o Joe tentou contestar, mas Nick não deixou. O que você queria que ela admitisse? Que ela aceitasse transar com você de novo? ele já estava gritando. Eu respirei fundo e levei minha mão à minha têmpora direita que eu já sentia latejar. Puta merda, olha onde fomos parar!
                Eu dei um passo a frente, antes que o Nick perdesse a cabeça e partisse para cima do Joe. Apesar dele merecer, tudo foi um mal entendido.  Nick, não foi isso que eu quis dizer. Ele não me forçou a nada. Quer dizer, o idiota do seu irmão só me trouxe aqui para discutirmos. Por mais babaca que ele seja, o Joe não quis se aproveitar de mim dessa vez.
                O rosto de Nick se suavizou e deu lugar de volta à confusão. Ele encarou a mim primeiro e depois o seu irmão.
                -É isso aí.- Joe confirmou. - Mas isso não quer dizer que ela é uma santa. Apesar dela não estar te traindo comigo, ela está te enganando de novo. Joe continuou com o seu discurso.
                -O que?! Joseph, eu acabei de te defender! Eu poderia muito bem ter mentido e deixado o Nick acreditar que você é um aproveitador. Você que bem que está merecendo apanhar.
                -Quem está merecendo apanhar é você, sua vigarista mentirosa! Em vez de ter dado um puxão de cabelo, eu bem que poderia ter te dado uns bons tapas no meio dessa sua cara de pau!
                -Agora está dando um de machão, é? Não esqueça que quem levou um bom soco no meio da cara foi você!
                A partir daí, eu e Joe começamos a falar ao mesmo tempo, num show de insultos, xingamentos e ameaças. Quanto mais eu tentava falar mais alto, mais o Joe levantava a sua voz para mim. Até para mim a mistura de vozes e toda aquela gritaria estava ficando confusa.
                -JÁ CHEGA! Nick gritou mais alto do que nós dois. E na mesma hora, nos silenciamos.   Primeiro de tudo, - o meu namorado tirou o casaco de moletom que usava me entregou. –É melhor você se cobrir com isso. eu peguei a peça e a vesti tentando disfarçar uma risada baixa. Ele é muito fofo com ciúmes. O moletom ficou grande em mim. Não cobriu muito as minhas pernas, mas pelo menos ficava um pouco mais comportado. -Dá pra explicar o porquê de vocês terem parado logo aqui, brigando daquele jeito que eu vi, à essa hora da madrugada? naquele momento, parece que ele percebeu muito bem que o que ele entendeu no primeiro momento não passava de um mal entendido e que eu e Joe estávamos dentro da normalidade dos nossos desentendimentos.
                -Tudo bem, eu vou explicar. o Joe começou a explicar. Eu não estava conseguindo dormir de madrugada. Já que eu não estava fazendo nada, decidi procurar umas coisas. A minha prancha de surfe, para ser exato. Então eu vim procurar aqui no galpão, mas acabei achando coisas muito mais interessantes. Joseph, deu um passo para o lado para revelar as caixas abertas cheias de armas e munições. Com certeza, isso daqui pertence a sua namorada, não é? Bom, foi por isso que eu a trouxe aqui. Eu queria pressioná-la até que a ela admitisse o que ela estava planejando fazer com esses brinquedinhos. Bom, acabamos brigando feio e eu acabei agindo daquela maneira. Mas me escuta, Nick. Alguma coisa que não presta ela está tramando com aquele amiguinho dela. Presta a atenção!
                -Eu já sabia das armas. Nick respondeu como se fosse óbvio. Ela comprou para a nossa autodefesa. Ainda mais agora que ela está me dando aulas de tiros. Eu estou treinando, caso aconteça alguma coisa. A máfia ronda muito por aqui. É sempre bom eu estar preparado para qualquer coisa. Eu acredito que não vá acontecer nada demais, mas prevenção é sempre bem-vinda.
                -Isso é o que ela quer que você ache! Joe insistiu.
                -Eu já disse que eu sabia! A compra das armas foi consentida por mim,ok? Nick respondeu firmemente um pouco antes de soltar um suspiro cansado. Uma ruguinha de estresse surgiu entre as suas sobrancelhas. Joseph ia se preparar para dizer mais alguma coisa, mas Nick interrompeu. Joe, será que você não pode passar nem um dia sem perseguir a Miley? Eu juro para você que ela é confiável agora, mas preciso que você dê um voto de confiança. Por pelo menos um dia!
                -Isso, Joe. Um dia de trégua! Pelo menos um dia para eu poder dormir em paz! eu reforcei.
                -Eu nunca vou confiar na sua namorada. Esqueceu o que ela já foi capaz de fazer?
                -Meu Deus, será que você não entendeu o objetivo dessa semana com todos vocês juntos? Só convivendo com ela você vai perceber que ela mudou. Nick respondeu. Eu amo muito a Miley, Joe. Mas nunca a traria pra morar comigo aqui sozinhos, se eu não tivesse certeza dos sentimentos dela por mim e que as intenções dela são outras.
                Ele rolou os olhos e demorou um pouco para responder. Eu vou fazer um esforço. Mas se eu acabar descobrindo mais coisas desse tipo, - apontou para a caixa com as armas e munições- vai ser ainda mais difícil.
                -Tudo bem, tudo bem... Dá até pra entender do porque disso, mas você vai ter que se controlar. Você topou dar essa chance à ela, então dê espaço para Miley te provar que você está errado, ok? Nick disse enquanto se aproximava de mim. Seu braço envolveu minha cintura e me deu um beijo na bochecha. Vai subindo lá pro quarto. Daqui a pouco eu subo também. ele sussurrou pra mim, enquanto tirava uma mecha do cabelo da frente do meu rosto. Eu estava curiosa pra saber o que ele queria falar com o Joe a sós, mas mesmo assim eu assenti com a cabeça.
                -Não demora. eu disse antes de me afastar e entrar na casa.
                Quem eu queria enganar? Joe tinha acabado de me acusar de ter tido um caso com o Chad. Ele não pode começar a plantar minhoca na cabeça do Nick! Será que ele vai comentar alguma coisa sobre isso? Eu fiz o trajeto ao contrário em silêncio, me aproveitando da falta de luz para me esconder e tentar escutar a conversa. Ficou tudo estranhamente silencioso por um tempo até o Joe se pronunciar.
                -Eu sei sobre o que você quer falar comigo. Nicholas, eu não sinto mais atração nenhuma por aquela mulher. obviamente ele estava falando de mim. Por mais que a situação que fomos pegos parecia estranha pra você, tudo o que falamos não passava da verdade. 
                -Eu sei. Acredito mesmo que vocês estejam falando a verdade, mas ver vocês dois... Não sei, perturbou um pouco a minha cabeça...
                -Um pouco? Joe o interrompeu.
                -Ok, muito! Nick admitiu. Miley já me explicou que só foi uma vez, mas... Merda, agora eu to morrendo de ciúmes! Enfim, eu só queria pedir uma coisa. Não ouse direcionar nem um olhar para Miley quando ela estiver vestida daquele jeito, ok?
                -Então pede para sua namoradinha andar decente em casa. Joe respondeu com uma voz entediada.
                -Que eu saiba, foi você que tirou ela do nosso quarto. A Miley não tava desfilando pela casa daquele jeito. Toma na cara, Joseph! Me defende, mesmo, Nicky.
                -Tá, tá... De qualquer modo, eu não vou ficar secando a Miley, ok?
                Antes que eles terminassem a conversa, eu saí de fininho para que nenhum deles notasse a minha presença. É melhor ir logo para o meu quarto antes que eles descubram que eu estava ouvindo a conversa deles. Subi as escadas da casa tomada pela escuridão e entrei rapidamente no quarto. Acendi a luz e me sentei na cama, a espera de Nick. Não demorou muito para que ele chegasse.
                -Noite difícil, não é? ele comentou puxando os seus lábios num pequeno sorriso. Eu sorri de volta.
                -Já deveria estar preparada para esse tipo de coisa quando topei que o seu irmão ficasse aqui. eu falei tirando o casaco de moletom, muito cheiroso por sinal, e larguei em qualquer canto. Só não imaginei que você ficaria com ciúmes da gente.
                Ele se jogou na cama ao meu lado um pouco sério. Miley, eu posso fazer uma pergunta para você?
                Mesmo um pouco hesitante, eu assenti com a cabeça. Claro que pode.
                -Existiu algum outro motivo, naquela época, para você ter topado ficar com ele por uma noite? Pode ser sincera comigo, eu juro que não vou ficar chateado com você. ele me disse olhando nos olhos. Eu mordi o lábio. Ele estava inseguro e eu não o culpo por isso. Na verdade, eu que sou a responsável.
                -O que você quer dizer com essa pergunta, Nick? eu perguntei enquanto eu me aproximava dele.
               
-Você sabe muito bem o que eu quero dizer. nisso ele tinha razão.
               
-Nick, pelo amor de Deus! Eu estava motivada a manipular o seu irmão e estava focada no golpe. Não tinha nada a ver com você. Você é e sempre foi perfeito! Fui eu que não quis dar valor, porque você é o filho do Paul. Só isso.

-Tudo bem, eu acredito em você. É só que... ele balançou a cabeça. Deixa para lá. Bobagem da minha cabeça.
               
-Meu amor você não precisa se preocupar com isso. eu disse me sentando em seu colo, ficando de frente para ele. Eu fiz um carinho em seu rosto e ele fechou os olhos com o meu toque. Você é o único cara para mim. Para a minha vida. eu sussurrei, enquanto minhas mãos deslizavam do seu rosto para as suas orelhas. Não existe ninguém que conseguiu me fazer sentir o que eu sinto quando eu estou com você. mesmo com o semblante relaxado graças às minhas carícias, Nick abriu os olhos e encarei aquelas orbitas escuras que eu tanto gosto. Em todos os sentidos.

                -Em todos?
               
                -Todos que você pode imaginar. vi um sorriso se formar entre seus lábios. E só para deixar claro, eu não gosto de fazer esse tipo de comparação, mas você é bem melhor na cama do qualquer outro cara com quem eu já estive. Se é essa dúvida que está te assombrando tanto.

                Sua expressão ganhou um ar mais leve, de brincadeira. Eu sei que você me ama, mas não precisa mentir para isso.

                Eu ri e dei um tapa no seu braço. Eu estou falando sério!

                -Uau! Depois desse elogio, acho que você merece um prêmio, hum? Nick puxou o meu rosto com delicadeza para perto dele e encaixou seus lábios nos meus. Quase que instantaneamente, fechei os olhos para sentir a sua boca colada na minha.

                Eu sequer acreditei que o Nick, por um momento, se sentiu inseguro em relação a mim. Quer dizer, eu até entendo o porquê. Há um ano atrás eu o traí. Joguei várias coisas ruins na sua cara, o colocando para baixo e tentando o fazer acreditar que ele não era desejável para mim. Mas tudo era em função de um ódio e desejo de vingança que me movia. Ele? Não havia nada de errado com ele. Nicholas é incrível, quase beirando a perfeição para mim. Não existe e nem vai existir algum homem que chegue aos pés dele aos meus olhos.
               
Trocamos beijos sutis e lentos, até que eu abri meus lábios para que sua língua encontrasse a minha. Minhas mãos deixaram de massagear suas orelhas e desceram para os seus ombros fortes e nus, por causa da sua camiseta regata branca que ele usava, e que por sinal deixavam os seus músculos ainda mais em evidência. Suas mãos passaram a revezar em apertar a lateral do meu quadril e acariciar minhas coxas. Com o passar do tempo nosso beijo foi esquentando cada vez mais, com mordidas, movimentos mais hostis e suspiros.

               
                Nick tentou afastar sua boca da minha, mas eu mantive o seu lábio inferior entre os meus dentes. Então, atendendo o meu silencioso pedido, ele voltou com os seus lábios nos meus. Me ajeitei em seu colo e senti a sua ereção roçando bem na entrada da minha intimidade e deixei um gemido baixo escapar da minha boca, delirando em imaginar ele enterrando o seu membro duro para dentro de mim com força. Quando dei por mim, eu estava arranhando suas costas por baixo da camisa, tentando controlar a minha respiração pesada.

                -Você está tão agitada, Miles. Nick comentou numa voz baixa e um sorriso safado no rosto. É por causa disso aqui? com um braço ele puxou o meu corpo mais para baixo, enquanto o seu quadril se roçava contra o meu. Eu fechei os olhos e suguei o ar com força. Incontrolavelmente, meu quadril passou a se movimentar também sem delicadeza nenhuma, procurando cada vez mais contato entre os nossos sexos.

                -Eu to louca para sentar nesse seu pau grande e quente. eu disse enquanto rebolava em seu colo. Seus olhos brilharam em luxúria. Nick aproveitou que a minha camisola estava levemente levantada e me deu um tapa bem estalado na minha bunda. Eu gemi alto na mesma hora. Então eu continuei falar quando consegui recuperar o fôlego.  Eu não me aguento por esperar para ver essa sua cara de safado quando eu te fazer gozar bem  gostoso para mim. eu já sabia que o Nick quase morre de tesão quando eu começo a falar sujo com ele desse jeito. Sorri quando ele mordeu forte o seu próprio lábio.

                Nick começou a espalhar beijos no meu pescoço. Você que manda, troublemaker. me arrepiei quando senti o seu hálito quente bater em minha pele. Essa semana você que está no comando, lembra? sua língua passeou em uma trilha tentadora no meu pescoço. 

                -Óbvio que eu lembro. Como eu poderia esquecer?
               
                -Então. Estou às suas ordens. ele sussurrou no meu ouvido antes de me dar um chupão no pescoço.

                -Tire essa roupa. eu mandei o olhando de cima a baixo. Lentamente.

                Ele sorriu ao ouvir minha tentativa de soar autoritária com uma voz tão falha, que mais parecia um gemido. Ele me tirou do seu colo, e eu tive que me conter para não choramingar quando minha intimidade pulsou ao sentir falta do roçar delicioso contra a sua ereção. Nick se afastou para ficar em pé em frente a cama, e começou a puxar sua camiseta lentamente, como eu pedi. Conforme ele levantava a peça, parte do seu tronco sexy se revelava. Como o V que se formava no final do seu abdômen, a divisão perfeita dos músculos do seu abdômen, o seu peito forte e os poucos pelos que faziam uma leve trilha do final da sua barriga para dentro da sua calça. Mordi o lábio, desejando tirar proveito de cada centímetro quadrado daquele corpo enlouquecedor. Nick tirou sua calça de moletom na mesma velocidade do que a sua camisa. Ele me encarava com um olhar travesso sabendo muito bem para onde eu não conseguia desviar a atenção. O seu pau se destacava completamente ereto e duro sob a cueca boxer cinza que ele usava. Ele estava tão rígido que era possível ver o formato perfeito por baixo do tecido.

                -O que mais você quer? ele perguntou com um sorrisinho malicioso.
               
                -Eu quero você todinho para mim.

                Não conseguindo mais me segurar, saltei da cama para colar meu corpo no dele. A mistura do seu cheiro natural e o seu perfume me embriagava. Eu estava louca para sentir o seu gosto. Puxei os seus cachos sem pena e trouxe a sua boca para minha. O beijo era urgente e extremamente erótico. Quando dei por mim, minha mão estava sobre o seu membro, o massageando e apertando, enquanto eu sugava a sua língua como se fosse o seu próprio pênis. Nick gemeu com uma voz abafada pelo beijo e separou a nossas bocas em beijos breves e nem um pouco delicados. Espalhei mordidas e lambidas pelo seu peito e abdômen. Aos poucos fui descendo, até ficar na altura da sua virilha. Eu mesma abaixei a sua cueca, deixando-o finalmente totalmente nu. Olhei para cima para encarar o seu rosto corado e seu olhar malicioso para mim. Deixei escapar um sorriso sem vergonha para ele, que quase no mesmo instante foi retribuído. Segurei o seu pênis pela base, ficando frente a frente com ele. Lambi toda a extensão do seu pau e fiz um movimento circular com a minha língua sobre a glande.
               
                -Miles, sua safada. Nick disse com a voz carregada de tesão. Me chupa com vontade, vai. Me coloca inteiro nessa sua boca gostosa.

                Atendendo a sua vontade, coloquei todo o membro para dentro de mim até chegar na minha garganta. Ele gemeu na mesma hora. Então comecei a me movimentar lentamente, tirando e colocando o seu pau inteiro na minha boca. Seu pênis pulsava forte de tesão e estava tão inchado que eu tinha que tomar cuidado para não engasgar. A sua respiração pesada e ritmada, me mostrava o quanto que ele estava gostando daquilo. Fechei os olhos enquanto chupava, me deliciando com o seu membro como se fosse o meu doce favorito.  A sua mão foi até o meu cabelo e o puxou, me forçando a olhar para cima, diretamente pro seu rosto. Nick tirou o seu pênis ainda duro de dentro da minha boca, me encarando com tanto desejo que beirava à selvageria. Eu lambi o seu fluido nos meus lábios com gosto, o mostrando o quanto ele é gostoso.

                -Você quer mais isso aqui? ele segurou o seu pau pela base e roçou a sua glande nos lábios e como resposta, eu assenti e abri mais a minha boca. Ele afastou um pouco o seu pau, me provocando, mas eu o alcancei e dei uma boa lambida bem no comecinho do seu pênis. O suguei de volta para dentro de mim com desespero. Boa menina. ele sussurrou em um gemido.
               
                Continuei o chupando por alguns segundos, até perceber que ele estava perto de gozar. Sua respiração estava mais rápida e curta, o seu membro cada vez mais inchado, além das suas tentativas falhas de me tentar avisar que estava perto do seu limite. Então o tirei da boca e me levantei. Quando Nick percebeu que eu interrompi logo perto do seu ápice, mordeu o seu lábio com tanta força que pensei que poderia ter machucado a sua própria boca.

                -Você só vai ter o que você quer, quando mostrar que é merecido. eu sussurrei em seu ouvido e depositei um beijo em sua orelha. Aliás, você não acha que a boa menina aqui não merece ser recompensada?

                -Como você quer ser recompensada? ele perguntou no mesmo tom de voz do que eu. Tudo que você quiser.

                -Eu quero a sua boca. eu respondi enquanto eu me sentava na cama e ele me acompanhou.

                Nick beijou os meus lábios lentamente, sua língua acariciando a minha num movimento sensual e molhado. Seu braço forte puxando o meu corpo contra o seu. Aquele corpo nu, rígido e sexy. Sua ereção roçando no meu quadril. Tudo aquilo estava me deixando tonta de tesão. Seus lábios sugava meus sem pressa, com um misto de erotismo e romantismo.  Quando nossas bocas se separaram eu disse:

                -Não era exatamente aqui que eu queria a sua boca.

                -Ah não? ele perguntou fingindo inocência. Nicholas puxou as alças da minha camisola para o lado, fazendo o tecido fino deslizar pelo meu corpo, deixando os meus seios expostos. É aqui que você quer? seus dedos brincavam com os meus mamilos duros e sensíveis. Eu perdi o fôlego para responder. Ele não esperou eu dizer qualquer coisa e beijou ambos os seios, deixando uma lambida bem molhada sobre cada um dos mamilos. Eu deixei um gemido fluir entre os meus lábios. Meu sexo à essa altura já estava ardendo em calor.

                -Ainda não é aí. eu respondi ofegante. Um pouco mais embaixo, Nicky.

                Eu me deitei na cama, enquanto Nick puxava a minha camisola ainda mais para baixo, até eu ficar só de calcinha. Ele jogou o tecido para longe e se inclinou sobre mim. Mordeu e beijou a minha barriga. Nick tirou a ultima peça que me vestia, que por sinal estava bem úmida. Antes que ele se livrasse da minha calcinha de renda, ele a cheirou com vontade enquanto eu o assistia. Enquanto ele sentia o meu cheiro impregnado na pequena peça, ele fechou os olhos e soltou um gemido rouco, como se fosse a mais deliciosa fragrância que já tinha sentido. Aquela visão fez toda minha vagina se apertar e ficar cada vez mais molhada.

                -Vem me chupar logo, Nicholas. Eu não aguento mais esperar. eu ordenei com voz rouca.

                Finalmente fazendo a minha vontade, Nick jogou a minha calcinha para o lado e afastou os meus joelhos, deixando um deles o mais alto que podia para me deixar ainda mais exposta. Sua língua passeou por todo o meu sexo e eu já estava gemendo incontrolavelmente. Sua língua brincou com o meu clitóris, o sentindo inchar com a sua provocação. Eu rebolei, implorando por mais contato.  Aquela língua molhada fazia movimentos circulares naquele ponto sensível estava me levando à loucura. Suas mãos alcançaram meus mamilos e os beliscaram, enquanto ele penetrava sua língua em mim. Eu não tive como me conter e gemi alto o seu nome. Incentivado ao ouvir o seu nome em meu gemido, Nick me abocanhou e colocou toda a minha intimidade na boca. Ele passou a beijá-la de língua, assim como ele faz com a minha boca. Eu já não me segurava mais e continuava a gemer alto alguns palavrões, o seu nome, até mesmo palavras desconexas. Todo a aquele prazer se acumulava em mim, pronto para explodir a qualquer momento. E foi isso que aconteceu quando Nick sugou o meu clitóris com força. Eu puxei os seus cachos e arqueei as costas, enquanto eu gemia seu nome mais uma vez até eu atingir o ápice. Nick lambeu até a última gota do meu fluído que encharcava o meu sexo.

                Nick sorriu, satisfeito com o seu trabalho. Ele engatinhou até ficar com o seu rosto frente a frente do meu. Ele esperou eu regularizar a minha respiração por alguns segundos e para beijar os meus lábios sutilmente.

                -Uau! eu disse depois do beijo e ele riu junto comigo. Você me provou que merece mesmo uma boa foda, não é? eu perguntei.

                -Finalmente! Agora eu quero ver o que a minha bandida tem pra me mostrar. ele sussurrou, deixando que a cabecinha do seu pau roçasse na minha barriga. Nicholas me beijou novamente, mas dessa vez, eu deixei que o beijo se aprofundasse mais até que eu estivesse completamente recuperada do orgasmo recente. Senti o meu gosto em sua língua e gemi provocativa.

                Antes que ele pudesse dizer ou fazer qualquer outra coisa, eu o empurrei para o lado, fazendo-o cair deitado na cama. Ajoelhada ao seu lado, eu suguei os seus lábios mais uma vez.

                -Gostou de sentir o seu gostinho na minha boca, safada?

                -Adorei.  E é assim que deve ser. Meu gostinho marcando território na boca gostosa do meu homem. - eu disse enquanto meus dedos contornavam os lábios deliciosos do Nick. 

Lembrando que ele estava até agora quase explodindo de tesão, eu me apressei a montar sobre seu corpo, ficando de costas para o seu rosto. Eu sabia que ele ficaria louco com a visão privilegiada da minha bunda, enquanto nós dois transássemos. E a minha teoria se confirmou quando suas mãos apertaram o meu traseiro.

-Gostosa. ele sussurrou pra mim.

Então eu segurei o seu pau pela base e deixei que ele roçasse por toda a extensão da minha intimidade. O contato direto do seu pênis no meu sexo, já foi o suficiente para me esquentar e me deixar ainda mais molhada. Mesmo, com o orgasmo recente eu já estava tão excitada quanto ele. Forcei o meu quadril para baixo lentamente, sentindo a ereção do Nicholas me preencher. Suguei o ar entre meus dentes e o soltei em um gemido. Eu me sentia tão apertada ao redor dele. Aquela sensação era delirante. Desci o meu quadril até ele entrar por completo em mim. Apoiei minhas mãos nas suas coxas deliciosas e as apertei antes de tirar e colocá-lo de volta em mim repetidamente. Eu ouvi um suspiro de prazer vindo do meu namorado. Ele gemeu o meu nome e como incentivo eu aumentei a velocidade, quicando em seu membro. O prazer também tomava conta de mim. Eu gemia repetidas vezes enquanto eu sentia o seu membro e sair e invadir para dentro de mim. Senti a palma de sua mão estalar em um tapa forte em minha carne e eu gritei.

-Miles, rebola essa bunda linda para mim. sua voz baixa e falha de prazer soou atrás de mim.

Eu fiz o que foi pedido. Rebolei sobre o seu pau dentro de mim. Eu fechei os olhos e joguei a cabeça para trás, enquanto eu continuava com os movimentos circulares do meu quadril contra o dele. Suas mãos revezavam entre acariciar e apertar o meu traseiro, me fazendo sentir ainda mais sexy. Estávamos cada vez mais perto de chegarmos ao limite. Então eu parei de o estimular, tirei o seu pênis de dentro de mim e me levantei por um momento o suficiente para me virar. Sentei sobre o seu membro novamente, ficando dessa vez de frente para o Nick.

-Eu não disse que estava louca para ver a sua cara de safado quando eu te fizer gozar? eu perguntei maliciosa compartilhando sorrisos sem vergonhas com o Nicholas.

-Então me faz logo, Miles. Estou perto. ele disse forçando o seu quadril contra o meu, fazendo o seu pau se mexer dentro de mim.

Eu também estava bem perto do clímax. Por isso não hesitei em continuar logo o que eu tinha parado. Passei a cavalgar rápida e hostilmente sobre o Nick. Fiz esforço para tentar não fechar os olhos enquanto eu estivesse lá. Eu queria manter meus olhos nele. Mostrá-lo com o olhar do que ele era capaz de fazer comigo até os últimos segundos. Meus gemidos aumentavam conforme nós dois nos movimentávamos cada vez mais. O orgasmo tomou conta de meu corpo mais uma vez e uma onda de relaxamento me invadiu. Continuei a cavalgar só mais um pouco, com o resto de energias que me restavam, até sentir os seus músculos relaxarem também. Seu líquido quente me invadiu em um jato de satisfação. Sua expressão tensa e contraída deu lugar a um sorriso gostoso poucos segundos depois.

                O tirei de dentro de mim e caí exausta sobre o meu namorado. Ambos os corpos suados, sem fôlego e cansados. Mas leves. Segurei o rosto de Nick com as duas mãos com carinho e o beijei lentamente, enquanto os seus braços fortes me envolviam confortavelmente. Era incrível a forte química que temos. Como se nós fossemos criados um para o outro.

                O relaxamento e o cansaço do meu corpo começaram a ficar mais evidentes quando me dei conta que meus olhos estavam cada vez mais pesados.  Eu saí de cima do Nick, ficando ao seu lado, mas mantendo um abraço. Ele puxou os lençóis para nos cobrir e o dei alguns beijos no seu pescoço. Pelo que eu percebi, ele também estava cansado e rapidamente pegaria no sono como eu.

                -Boa noite, Nicky. eu disse baixinho. Eu te amo.

                -Boa noite, meu amor. ele beijou o topo da minha cabeça. Eu também te amo muito.

                Meu olhos começaram a se fechar contra a minha vontade. Eu sou só sua. Pra sempre.

                E eu peguei no sono.

No dia seguinte...

-Fico aliviado de saber que você me perdoou. -disse Chad. Ele desviou o olhar da paisagem que tínhamos da varanda de entrada para mim novamente.- Eu pensei que você nunca  ia querer mais olhar na minha cara depdois daquele dia.

-Bobagem. Eu não iria destruir nossa amizade desse jeito. - eu sorri para ele e Chad retribuiu. Nós tínhamos passado uma boa tarde juntos depois eu ter decidido ligar para ele e perdoá-lo. Chad aproveitou a folga do seu emprego hoje para ficar comigo e ouvir as novidades sobre a visita surpresa que eu e Nick tivemos. Contei também sobre a desconfiança que Joe tinha sobre a nossa amizade e toda a confusão que já está tendo sobre nossos desentendimentos.

                -Isso é ótimo de ouvir. Bom, está entregue em casa. Boa sorte com o cunhado babaca! - ele se aproximou de mim para se despedir e eu percebi que o seu olhar se direcionava descontroladamente para a minha boca, mas para o meu alívio, ele apenas me deu um beijo casto na bochecha.

                -Então esse é o tal Chad? Ouvi a voz do Joe atrás de mim. Bem que eu deveria ter desconfiado que o dia estava tranquilo demais pra ser verdade. Eu me virei para sua direção deixando claro o meu desânimo em vê-lo. Logo atrás do meu cunhado, o Brian apareceu com um olhar curioso.

                -Sim, é ele. eu respondi. Chad, esse é o Joseph, o irmão mais velho do Nicholas. eu apresentei para o meu amigo e revirei os olhos. E esse aqui é o Brian, o melhor amigo do Nick. Garotos, esse é meu melhor amigo, Chad.

                Chad cumprimentou os dois educadamente.

                -Eu lembro da Miley e do Nick terem falado de você. Você foi o cara que junto com o Nick aquitetou aquele plano da fuga da Miley, não é? Brian perguntou animado.

                -Sou eu mesmo. Chad respondeu orgulhoso. Pelo seu sorriso, ele logo de cara gostou do Brian. E realmente ele é um cara legal.

                -E é o cara com quem a Miley dá umas fugidas de vez em quando, também. Joe sussurrou sarcastico para si, mas eu consegui escutar e o fuzilei com o olhar. Pelo visto, eu não fui a única a ter escutado pois o ambiente ficou meio esquisito entre nós quatro.

                -Você e essa sua boca enorme! Por acaso você se esqueceu do nosso acordo ontem? eu dei um tapa no braço do Joe.

                -Nosso, não! Meu e do Nick.

                -Tanto faz! eu comecei a levantar a voz, sentindo que a minha paciencia estava se esgotando com ele de novo!

                -Bom, gente. Eu vou indo para casa. Tenho umas coisas para resolver. Chad se pronunciou um pouco desconfortável. Tchau, Miles.

                Eu o encarei um pouco decepcionada.

                -Foi mal por isso

                -Fica tranquila. Eu entendo. ele olhou para o Joe de cima a baixo com uma expressão de reprovação. Então o Chad me deu mais outro beijo na bochecha e foi embora.

                -Viu o que você fez!? Eu posso saber quando é que essa palhaçada vai acabar? eu gritei com o babaca do Joe.

                -Lá vamos nós de novo. Brian revirou os olhos já cansado de tanta confusão.

                -Escapou da minha boca, ok? Vai me dizer que vocês nunca se pegaram? 

                -Não! - eu menti. E para de ficar insinuando que eu traio o Nick com ele. Eu amo o seu irmão. Você querendo ou não, nós fomos destinados a ficarmos juntos. Aceite!

                -Do mesmo jeito que você foi destinada a tentar dar o golpe no Nicholas? ele cruzou os braços e me encarou debochado. Eu senti todo o meu sangue ferver para o meu rosto e eu juro que estava me seguando com todas as minha forças para não avançar para cima dele.

                -Acho melhor você calar essa sua boca, antes que eu quebre esses seus dentes clareados de boneco Ken.

                -Uma pena o seu namoradinho não estar aqui pra te proteger. Poque se você conseguir quebrar um dente meu, eu juro que eu desfiguro essa sua cara de puta todinha.

                -Joe e Miley, vocês não vão fazer mais porra nenhuma! Isso já está ficando ridículo! Brian se descontrolou.

                Então antes que algum de nós pudéssemos nos pronunciar, a porta de entrada foi aberta. Imaginei que fosse apenas o Nick chegando da faculdade, mas ouvi mais outra voz acompanhada da dele. Selena ria de alguma coisa que o meu namorado estava dizendo enquanto adentrava a casa. Como se o dia não pudesse piorar, a bruxa italiana resolve dar as caras. Nós paramos a discussão quase que instataneamente com a chegada dos dois.

                -Oi, gente! Nick nos cumprimentou bem humorado. Joe, Brian, essa é a minha amiga Selena. Vim trazê-la para conhecer vocês. Eu cruzei os braços olhando desacreditada para o Nick. Sério mesmo que depois da nossa discussão naquela festa por causa dessa aí, ele ainda traz Selena para cá para conhecer os garotos?

                Desligado, como sempre, Nick não percebeu o meu mau humor e veio me cumprimentar com um beijo carinhoso nos lábios. Oi, minha troublemaker. ele disse com um sorriso fofo. Odeio quando eu estou brava e ele me amolece desse jeito!

                -Oi, você deve ser o irmão dele, certo? a patricinha perguntou cheia de simpatia para o Joe antes de da dois beijos em suas bochechas.

                -Isso mesmo.   Joe respondeu com uma doçura e sedução que eu cheguei a achar estanho vindo dele. Revirei os olhos. Galinha!

               -Esse é o Brian, o meu melhor amigo. - Nick apresentou o rapaz para a Selena e ela o cumprimentou sorridente.

                 -Nossa, hoje então é o dia de apresentações? - perguntou Brian, bem humorado. Nick o encarou confuso e antes que perguntasse, ele se explicou. -Miley nos apresentou agora há pouco o Chad.

                 -Ah, sim! Que pena que ele já foi embora. A Selena acabou de me convidar pra ir para uma reunião com o pessoal num bar no centro da cidade. E aí, vocês topam? - Nick nos convidou animado. Eu rolei os olhos. Selena e seus convites "inocentes" para o meu namorado. Era óbvio que eu ia topar. Não deixaria mesmo aquela biscate amadora a sós com o Nick, ainda mais com álcool no meio. Eu confio na fidelidade do Nicholas, mas eu odeio imaginar o simples fato daquela garota ficar se atirando toda para cima dele na maior cara de pau.

 -Claro que topo!  Já estava sentindo falta de um pouco de farra. eu respondi de imediato. Percebi um sorrisinho forçado da Selena após a minha resposta.

                -Eu to dentro. Brian respondeu verdadeiramente entusiasmado.

                -Só se for agora. Joe disse por ultimo.

                Nick e a sua amiguinha foram na frente enquanto eu pegava a minha bolsa e os rapazes pegarem os seus celulares.

                -Acho que alguém não gosta muito da amiga gostosa do Nick. a voz provocadora de Joe soou atrás de mim.

                -Gostosa, enjoadinha e atirada. eu rolei os olhos.

                -Grande coisa. Você também é. ele respondeu dando de ombros.

                -Quer dizer que eu sou gostosa, é? eu ri debochada.

                -Não vai se achando, não. Você pode até ser bonitinha, mas a italiana é um espetáculo. Não é atoa que você tem ciumes dela. ele me cortou antes de apressar os passos e entrar no carro do seu irmão mais novo.


                Eu mereço! 

9 comentários:

  1. Carol do céu ! Que capítulo foi esse ? E esse hot ? nossa senhora !
    Fiquei com gostinho de quero mais com esse final, to sentido que nessa festinha vai rolar uma confusão.
    Ja disse que sou apaixonada no Brian ? Senti falta dele nessa capitulo
    Espero que a próxima att não demore <3
    Camila Deplan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. heeey Camila :D
      Com certeza, essa festa aguarda muita confusão kkkkk mas o buraco é muito mais fundo!
      Você não é a única! Kkkk Brian é um xodó meu ♥ kk
      Tentei o máximo para não demorar para postar o novo capítulo. Espero que vc goste dele!
      Muito obrigada pelo comentário
      Beijos

      Excluir
  2. Então dona Carol, Finalmente tivemos capítulo novo né?! rsrs (olha aqui o sujo falando do mal lavado) Bem, mas pessoas que demoram um século inteiro pra postar a parte, esse capítulo só deu o Joe né? Já tô ficando irritada com o jeito como ele fica de implicância com a Miley, os dois parecem mais duas criancinhas de 5 anos. Cara, vê se cresce Joe! E larga de mimimi.
    Agora o Nicholas, que homem, Nossa! Ele e a Miley na cama o negócio pega fogo... Mas eu senti falta das tretas que normalmente rolam nessa fic, espero que essa festa aí com a italiana atiradinha a treta role solta.
    Estou esperando pelo próximo!
    Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele está compensando todo o tempo que esteve longe da Miley pra "matar saudades" kkkkkkk
      No capítulo 8 treta é que não falta. Fica tranquila kkkkkkkkkk
      espero que goste do próximo capítulo
      Beijos!

      Excluir
  3. Finalmente vc apareceu.
    Amei o capitulo. Impossível na verdade não amar rsrs.
    Cara, esse Joe não tem jeito. Quer implicar com tudo. Tá merecendo apanhar mesmo pra ver se cresce kkk. Cadê a Demi que não aparece pra ver se coloca esse Joe implicante no lugar kkkk. Estou sentindo falta da Demi e do Brian. Espero que eles apareçam mais vezes.
    Miley e Nick. Dois safados kkkkk. Quando esses dois estão juntos, a coisa pega fogo kkkkk. Só tem que ter cuidado pra não colocar fogo na casa kkk.
    Estou com um pressentimento de que vai rolar confusão nessa festinha no bar kkkk. E como a Amy disse... Espero que essa festa aí com a italiana atiradinha a treta role solta kkkk. Como sempre digo... Gosto de ver o circo pegar fogo kkkk.
    Por favor, vê se não suma de novo. Estou ansiosa pelo próximo.
    Bjos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Omg, que comentario enorme e lindo *-* amo demais coments gigantes assim.
      Minha filha, nesse capitulo 8 a Demi já vai começar a colocar o Joe no eixo! Kkkk
      Pode deixar que treta é que não vai faltar! hahaha
      Espero que goste do próximo capitulo
      Obrigada pelo comentario
      Beijos!!!

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Carol, como sempre você arrasa!
    Cara, que vontade de matar o Joe, ele não consegue ficar um minuto sem irritar a Miley, a mulher não pode estar feliz, e para piorar o tapado Nick leva a "amiguinha" para conhecer o amigo e o irmão e percebe que a Miley tem ciúmes da mesma e lógico que o Joe vai se aproveitar desse fato para tentar separar os Niley, né? ( ė bem capaz dele pedir ajuda da Selena para conseguir essa façanha). Essa festa vai dar o que falar, a Miley fez muito bem de ir e ficar de olho no homem dela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tadinha da Miley, né? Kkkkkk
      Pois é, a situação n ta muito boa pra ela n kkkkkkk
      Espero que goste do proximo capitulo
      Muito obrigada pelo comentario!
      Beijosss

      Excluir